ENTRE EM CONTATO COM A GENTE PELO EMAIL: MARTINUZZO23@GMAIL.COM

sexta-feira, 14 de junho de 2013

CRISE NA SAÚDEDE CARIACICA RECEBE ATÉ PROPAGANDA EM OUTDOOR EM P.A DE ALTO LAJE!

Cariacica faz "propaganda" da crise na Saúde

Pressionada pela população, insatisfeita com o atendimento, a Prefeitura de Cariacica resolveu mostrar publicamente a crise no setor de Saúde. Por isso, desde a última segunda-feira, dois outdoors foram instalados em frente ao PA do Trevo, que até hoje não foi inaugurado. A placa diz: “Obra inacabada. Estamos trabalhando para colocar o PA do Trevo em funcionamento”. A frase, claro, é uma crítica à administração anterior, do prefeito Helder Salomão (PT), que prometeu inaugurar o PA em agosto do ano passado.

Mudança

Segundo a Secretaria de Saúde de Cariacica, serão investidos R$ 1,5 milhão, em recursos próprios, para equipar e readequar o PA para ele funcionar como uma UPA (Unidade de Pronto-Atendimento), que depois de inaugurada será custeada também pelo governo federal. O PA do Trevo, segundo o secretário municipal de Saúde, Nilson Mesquita, deverá ser inaugurado em setembro ou outubro.


Outdoor em frente ao PA do Trevo de Alto Lage informando obra inacabada
PLACA MOSTRANDO A CRISE DA SAÚDE EM CARIACICA!!

Pra todo mundo ver Outdoor da Prefeitura de Cariacica informando situação da obra do Posto do Trevo: segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a unidade foi entregue sem equipamentos para que pudesse funcionar e atender, diariamente, cerca de 600 pessoas. 

MUDANDO DE ASSUNTO:                                                                                                                            

O prefeito de Cariacica, Juninho (MD), foi jogador de futebol. Já se destacou por fazer belos gols e jogadas em campo, mas agora, na prefeitura, a impressão geral é de que ele vem “batendo cabeça” – para usar uma expressão futebolística. Nas últimas semanas, por exemplo, o prefeito divulgou que faria uma nova “mexida” no time, deslocando titulares para outras posições. Já tinha feito isso com cerca de cinco meses de mandato. Dias depois, mudou de ideia e desistiu da mudança.

Além disso, ele segue criticando a gestão anterior, colocando no colo do antecessor Helder Salomão (PT) a culpa por vir enfrentando tantos problemas. Na semana passada, por exemplo, disse para A GAZETA que encontrou “desestruturadas” sete secretarias de peso, incluindo Saúde, Educação, Obras e Desenvolvimento Urbano.

Tudo isso está repercutindo mal. Fica parecendo que Juninho ainda não desceu do palanque e está olhando demais no retrovisor, sem conseguir sequer encarar o adversário dificílimo que ele tem pela frente. 
O discurso de desconstruir a gestão passada pode até ter funcionado no início. Foi inclusive usado fartamente pelos novos prefeitos. Agora, com quase meio ano de mandato, essa fala não “cola” mais. Pior: soa como desculpa, ou “drible”, na população.

Era até de se esperar que Juninho encontrasse dificuldades. Alguns políticos dizem que Cariacica não é para principiantes. Como já dito aqui em outras ocasiões, a cidade tem o maior número de problemas por metro quadrado na Grande Vitória. 
A cidade ainda tem a menor receita per capita entre os 78 municípios capixabas. E com a queda de arrecadação que atinge todas as prefeituras, o quadro se torna mais dramático.

Só não se pode dizer que Juninho e a equipe desconheciam esse cenário. Ele fazia parte da gestão anterior como vice-prefeito. Mesmo rompido com Helder, conheceu a máquina de perto e “por dentro”.

Há quem diga que o problema é a inexperiência política e administrativa do prefeito, porque este é, na prática, seu primeiro mandato eletivo e sua primeira escalação como gestor. Outros citam também a falta de brilho e de “craques” da equipe de governo. Pode ser. Mas é bom lembrar que Juninho foi eleito quase por W.O., por 85,4% dos votos válidos, a maior votação proporcional do país.

Esse percentual tão expressivo o levou com moral para a prefeitura, mas também se tornou um peso sobre o prefeito e seu time. E com tantas partidas difíceis pela frente, ele não pode mais culpar o time que já deixou o gramado. A população o escalou justamente para ver gols na gestão.


FONTE: A GAZETA ONLINE 

Nenhum comentário: